Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Sintaxe » As orações subordinadas adverbiais – não as decore, analise-as

Sintaxe

Texto:
por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

As orações subordinadas adverbiais – não as decore, analise-as








Uma análise contextual é a melhor forma de identificá-las

 

Mediante os conteúdos gramaticais com os quais nos deparamos enquanto aprendizes, há aqueles que, por serem um tanto complexos e extensos, podem porventura causar-nos uma certa repulsa. Tal constatação, às vezes “emerge” sem ao menos estabelecermos contato com o assunto evidenciado, e isso, sem nenhuma dúvida, pode funcionar como um verdadeiro entrave diante da apreensão do conhecimento.

A título de ilustração da ocorrência mencionada, citamos o caso das orações subordinadas adverbiais. Muitas vezes imaginamos que a melhor alternativa para aprendê-las é simplesmente decorá-las. Eis aí uma concepção errônea e, diante disso, o artigo em questão prioriza algumas elucidações que farão você, caro (a) usuário (a), entender o porquê de tal aspecto.

Utilizando-se da famosa “decoreba”, mediante a lista das muitas conjunções que as integram, o que normalmente ocorre é rotulá-las, sendo que tal prática permite com que nos preocupemos mais com as nomenclaturas do que com o uso efetivo das estruturas linguísticas, analisadas num dado contexto. Dessa forma, torna-se conveniente que em vez de assim procedermos, passemos a analisá-las de uma forma minuciosa, atendo-nos, principalmente, à situação contextual em que se encontram demarcadas, pois uma mesma conjunção, como por exemplo, o “como”, pode ocupar funções distintas. Assim sendo, analisemos os casos demonstrados a seguir:

Fizemos a pesquisa como o professor nos orientou.
A relação estabelecida pelo conectivo (conjunção) é a de conformidade (Conforme o professor nos orientou, fizemos a pesquisa)

Como o professor não havia nos orientado antes, não pudemos fazer a pesquisa.
Constatamos que se trata de um mesmo conectivo, porém retratando a ideia de causa, ou seja, qual a causa de não termos feito a pesquisa?

Os alunos fizeram a pesquisa como os da outra turma.
A mesma ocorrência se efetiva, contudo, a relação que aqui se estabelece é a de comparação.

Percebeu as peculiaridades? Então, esteja atento (a) a elas!