Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Morfologia » Chego ou chegado?

Morfologia

Texto:
por: Luana Castro Alves Perez

Chego ou chegado?


Chego ou chegado? Já ficou em dúvida na hora de usar o verbo chegar no particípio? Isso acontece porque alguns verbos admitem tanto o particípio regular quanto o irregular.





Os verbos abundantes admitem tanto o particípio regular quanto o particípio irregular. Esse não é o caso do verbo chegar
Os verbos abundantes admitem tanto o particípio regular quanto o particípio irregular. Esse não é o caso do verbo chegar



Se eu tivesse viajado de avião, já teria chego há muito tempo

ou

Se eu tivesse viajado de avião, já teria chegado há muito tempo?

E agora? Qual é a forma certa, chego ou chegado?

Sabe a resposta? Não? Possivelmente você já pensou sobre essa questão, não é mesmo? Quem nunca? Esse tipo de dúvida é muito comum entre os falantes e envolve uma interessante ocorrência da língua portuguesa: o uso incorreto de particípios. Certo, vamos por partes, primeiro é importante que você saiba – ou relembre – o que é o particípio. Vamos lá?

O particípio, ao lado do infinitivo e do gerúndio, é uma forma nominal. Isso quer dizer que, os verbos, quando em uma dessas formas, desempenham o papel de substantivos e adjetivos, isto é, de nomes. A função do particípio é exprimir o resultado do fato verbal, ou seja, expressar ações plenamente concluídas. Eis alguns exemplos: escrito, falado, pensado, aceito, entregue etc. Ele pode ser dividido em particípio regular (nessa situação o verbo apresentará as terminações -ado e -ido) e particípio irregular (nessa última situação, ele não possui uma terminação pronta). Agora vamos para o próximo passo da nossa explicação, fique atento.

Alguns verbos podem apresentar duas ou mais formas em alguns dos seus tempos. Isso significa que eles admitem tanto o particípio regular quanto o particípio irregular, são os chamados verbos abundantes, mas esse não é o caso do verbo chegar. Pronto, chegamos à resposta de nossa questão inicial:

→ Se eu tivesse viajado de avião, já teria chegado há muito tempo

Chega de chego! Pode abolir do seu vocabulário porque, na norma culta da língua, essa palavra não existe, assim como não existem as demais formas:

Trago (a forma correta é trazido, no particípio regular)

Abrido (a forma correta é aberto, no particípio irregular)

Cobrido (a forma correta é coberto, no particípio irregular)

Escrevido (a forma correta é escrito, no particípio irregular)

Para que você nunca mais sofra com o uso do particípio, confira alguns exemplos de verbos abundantes, estes sim admitem o particípio regular e o particípio irregular:

Infinitivo

Particípio regular

Particípio irregular

aceitar

aceitado

aceito

acender

acendido

aceso

assentar

assentado

assento, assente

eleger

elegido

eleito

entregar

entregado

entregue

enxugar

enxugado

enxuto

expressar

expressado

expresso

expulsar

expulsado

expulso

extinguir

extinguido

extinto

farta

fartado

farto

findar

findado

findo

ganhar

ganhado

ganho

limpar

limpado

limpo

matar

matado

morto

pagar

pagado

pago

pegar

pegado

pego (é ou ê)

eleger

elegido

eleito

envolver

envolvido

envolto

exprimir

exprimido

expresso

frigir

frigido

frito

imprimir

imprimido

impresso

inserir

inserido

inserto

salvar

salvado

salvo

tingir

tingido

tinto

E para finalizar a discussão, lembre-se de que, nos verbos abundantes (que admitem duplo particípio), utiliza-se a forma regular com os verbos auxiliares “ter” ou “haver”:

Quando cheguei, Maria já tinha pagado a minha encomenda.

Eu havia aceitado todas as condições do contrato.

Para a forma irregular do particípio, utilize os verbos “ser” e “estar”:

Os suspeitos foram soltos no início da manhã.

O pneu do carro estava gasto.

Bons estudos!