Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Estilística » Conceito de Estilística

Estilística

Texto:
por: Mayra Gabriella de Rezende Pavan

Conceito de Estilística


A Estilística é a arte do estilo, da elegância, por isso os recursos estilísticos aparecem com destaque, uma vez que busca maior expressividade.





Para cada intencionalidade existe um recurso linguístico, por isso, a estilística é uma arte, já que através dela a escrita torna-se mais expressiva
Para cada intencionalidade existe um recurso linguístico, por isso, a estilística é uma arte, já que através dela a escrita torna-se mais expressiva



O que é a Estilística? Ela tem a ver com estilo? É importante para a compreensão da língua portuguesa? Existe relação com a gramática? Certamente, há muitas dúvidas sobre o assunto. Então, é importante começar conceituando o termo.

Estilística, segundo o dicionário Houaiss, é a arte de escrever de forma apurada, elegante. Para outros estudiosos, é a disciplina que estuda os recursos expressivos que individualizam os estilos. Podendo, ainda, ser definida como uma conexão histórica entre a Poética e a Retórica.

Sinteticamente, a Poética apresenta-se nos recursos estilísticos, uma vez que estes não surgem aleatoriamente, mas são escolhidos, ainda que de forma inconsciente, pelo emissor, de acordo com sua intenção. Quer emocionar? Quer persuadir? Quer confundir? Para cada objetivo, há um recurso. Por isso, há figuras cuja base é a analogia (comparação, metáfora, catacrese, alegoria etc.), há outras que é a substituição de um termo por outro, desde que entre eles haja uma relação de sentido (metonímia, antonomásia etc.); se o objetivo é apresentar contradição de ideias ou de palavras: antítese, paradoxo, ironia etc., no entanto, se a necessidade é suavizar ou exagerar: eufemismo, hipérbole.

Às vezes, as palavras ou estruturas são repetidas propositalmente (anáfora, pleonasmo, paralelismo), há momentos em que a sonoridade será relevante (assonância, aliteração, onomatopeia) ou será importante inverter (hipérbato, anacoluto, etc.). Geralmente, menos palavras indica mais expressividade na mensagem (elipse, zeugma, silepse, alusão, etc.).

Viram como os recursos estilísticos são importantes? Por isso, é preciso conhecê-los, pois fazem a diferença na construção de um enunciado ou em sua interpretação. É possível, inclusive, cometer desvios da linguagem padrão com o objetivo de enfatizar um termo, uma mensagem ou seu contexto. Entretanto, isso deve ser feito conscientemente e não por desconhecimento.

E a Retórica, que relação tem com a Estilística? Os recursos estilísticos não se limitam ao âmbito da língua escrita. O tempo todo os interlocutores objetivam a comunicação, que em geral vem permeada de tentativas de convencimento. Na época de Aristóteles, a retórica teve destaque em razão da importância da comunicação própria do período. Os assuntos públicos eram tratados publicamente. E em nossos dias? A retórica perdeu sua importância, ou desvinculou-se da Estilística? Claro que não. Diariamente é usada por políticos, que precisam embasar seus discursos para convencer a população, ou por cidadãos que buscam persuadir seu interlocutor.

E a gramática, tem relação com a Estilística? Para Mattoso Câmara, elas se complementam, uma vez que aquela estuda os elementos da língua e essa estuda a linguagem que se cria com esses elementos. Logo, quando o emissor escolhe um fonema que constituirá morfemas (unidades mínimas com significado) que formarão palavras, que serão organizadas em períodos, constituindo assim os parágrafos, que formarão o texto; os aspectos fonéticos, fonológicos, morfológicos, sintáticos e lexicais apresentam-se contribuindo para tornar a mensagem mais sugestiva, expressiva e particular.





Artigos Relacionados