Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Morfologia » Concordância do verbo fazer quando indica tempo transcorrido

Morfologia

Texto:
por: Mariana Rigonatto

Concordância do verbo fazer quando indica tempo transcorrido


O verbo fazer torna-se impessoal quando indica o sentido de tempo transcorrido e, por isso, não deve ser flexionado no plural em sua concordância.





A concordância do verbo fazer indicando tempo transcorrido pode gerar muitas dúvidas
A concordância do verbo fazer indicando tempo transcorrido pode gerar muitas dúvidas



Observe a frase e escolha a melhor opção de uso do verbo fazer.

Faz/Fazem duas horas que liguei e você não retornou a ligação.

Certamente, você alguma vez teve dúvidas quanto à concordância desse verbo, não é mesmo? O uso correto na frase exemplificada acima seria “faz”. Mas você sabe o porquê? A regra é bem simples e clara: o verbo fazer, quando expressa o sentido de tempo transcorrido, é um verbo impessoal, ou seja, não indica pessoa. Veja mais exemplos:

Faz dez anos que não vejo o mar.

Faz onze anos que me formei.

As locuções verbais, que possuem o verbo fazer com o mesmo sentido de tempo transcorrido, também seguirão a mesma regra na concordância dos verbos auxiliares, ou seja, não devem variar. Veja:

Já devia fazer dez anos que não via o mar.

Vai fazer onze anos que me formei.

Dessa forma, o verbo fazer, nesse sentido citado, não terá flexão em qualquer tempo verbal que esteja conjugado. Observe:

Faz dez anos que não vejo o mar.

Fazia dez anos que não via o mar.

Fez dez anos que não vejo o mar.