Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Pontuação » Dicas sobre o uso das aspas

Pontuação

Texto:
por: Luana Castro Alves Perez

Dicas sobre o uso das aspas


O emprego das aspas, recurso gráfico comum na linguagem escrita, está condicionado a situações de uso preestabelecidas.





As aspas sempre são utilizadas em pares, sinalizando o início e o fim do termo destacado por esse recurso gráfico
As aspas sempre são utilizadas em pares, sinalizando o início e o fim do termo destacado por esse recurso gráfico



Quem nunca ficou em dúvida sobre o emprego das aspas? Recurso gráfico muito utilizado na linguagem escrita, as aspas estão condicionadas a situações de uso específicas. Mas não basta saber como e quando usá-las, é preciso também saber como pontuar um texto quando as aspas surgem em seu desenvolvimento.

Para facilitar sua escrita, elaboramos algumas dicas sobre o uso das aspas que podem elucidar de vez uma dificuldade muito frequente na língua portuguesa.

Regras para o uso das aspas:

  • As aspas devem ser empregadas sempre que você for abrir e fechar citações. Observe o exemplo:

O senhor… mire, veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam, verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra montão.

(Grande sertão: Veredas - Guimarães Rosa)

  • Uma situação de uso em que as aspas são empregadas com frequência é quando temos como intenção exprimir ironia ou conferir destaque a uma palavra ou expressão empregada fora de seu contexto habitual. Observe o exemplo:

Moça linda bem tratada,
Três séculos de família,
Burra como uma porta:
Um
“amor”.

(Mário de Andrade)

  • As aspas devem ser empregadas quando no texto surgirem neologismos, arcaísmos ou gírias, pois é importante que esses termos ganhem destaque. Observe o exemplo:

"(...) Já outro, contudo, respeitável, é o caso - enfim - de 'hipotrélico', motivo e base desta fábrica diversa, e que vem do bom português. O bom português, homem de bem e muitíssimo inteligente, mas que, quando ou quando, neologizava, segundo suas necessidades íntimas.”

(Tutameia – Terceiras estórias. Guimarães Rosa*)

* Guimarães Rosa é um escritor de nossa literatura muito conhecido pela criação de neologismos. Segundo ele, “hipotrélico” significa “pessoa pedante”, que tem pouco respeito com a opinião alheia.

  • Para ressaltar a ocorrência de empréstimos linguísticos (estrangeirismos) no texto, sobretudo quando não estiver disponível a opção “itálico”. Observe o exemplo:

A “baby-sitter” e o “barman” marcaram um encontro no “hall” do edifício.

  • Para marcar o título de uma obra. Observe o exemplo:

    Memórias Póstumas de Brás Cubas”. (Machado de Assis)

Regras para a pontuação quando houver aspas:

  • Se a frase começa e termina com aspas, o ponto deve ficar dentro das aspas. Exemplo:

    Está morto: podemos elogiá-lo à vontade.” (Machado de Assis)

  • Se a frase não está integralmente dentro das aspas, a pontuação deve ficar fora das aspas. Exemplo:

Estou de acordo com Machado de Assis, que dizia, sabiamente: “lágrimas não são argumentos”.