Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Morfologia » Emprego das formas nominais do verbo

Morfologia

Texto:
por: Mariana Rigonatto

Emprego das formas nominais do verbo


Os verbos possuem formas nominais, como infinitivo, gerúndio e particípio, que são empregadas em tempo e modo de acordo com o contexto em que se inserem.





As formas nominais do verbo são empregadas distintamente
As formas nominais do verbo são empregadas distintamente



Como você já deve saber, as formas nominais do verbo recebem esse nome porque exercem funções que são típicas dos nomes. Assim, temos:

- Infinitivo – equivale ao valor de um substantivo;

- Gerúndio – equivale ao valor de um adjetivo ou de um advérbio;

- Particípio – equivale ao valor de um adjetivo.

No entanto, o emprego dessas formas depende sempre do contexto em que se inserem e, por isso, é importante saber o que diferencia seus usos.

  • Emprego do infinitivo

Essa forma nominal do verbo deve ser utilizada quando há a intenção de exprimir o processo verbal em eficiência, ou seja, exprime a noção de ação do verbo, aproximando-o do substantivo.

Exemplos:

“É preciso saber viver

De amar, também se morre.

  • Emprego do gerúndio

O gerúndio deve ser utilizado quando há a intenção de expressar a continuidade do processo verbal, realizando as funções do advérbio ou do adjetivo.

Exemplos:

Ela perdeu o livro andando no parque. (valor adverbial = quando)

Tenho agonia de pessoa assobiando. (valor de adjetivo = pessoa que assobia)

  • Emprego do particípio

O particípio deve ser utilizado quando há a intenção de exprimir um resultado da ação verbal, acumulando tanto as funções do verbo quanto do adjetivo e, por isso, pode receber as desinências -a de feminino e -s de plural.

Exemplos:

Comprado o presente, fomos para a festa.

A roupa foi confeccionada por um estilista.