Você está aqui: Página Inicial » Redação » Intertextualidade » Pragmática

Intertextualidade

Texto:
por: Luana Castro Alves Perez

Pragmática


A Pragmática analisa a linguagem considerando a influência do contexto comunicacional, extrapolando assim a visão da Semântica e da Sintaxe.





A Pragmática é um ramo da linguística que estuda o uso concreto da linguagem através da análise dos enunciados dos falantes
A Pragmática é um ramo da linguística que estuda o uso concreto da linguagem através da análise dos enunciados dos falantes



Existem palavras que parecem adormecidas no léxico de uma língua, mas que de repente despertam e caem no vocabulário dos falantes. A palavra pragmática é um bom exemplo e, ainda que não seja comum para a maioria dos usuários da língua portuguesa, é cada vez mais habitual ouvi-la nos mais variados discursos.

Mas você sabe o que é Pragmática? Trata-se do ramo da linguística que analisa o uso concreto da linguagem pelos falantes da língua em seus variados contextos. A Pragmática extrapola a significação dada às palavras pela semântica e pela sintaxe, observando o contexto extralinguístico em que estão inscritas; ou seja, ocupa-se da observação dos atos de fala e suas implicações culturais e sociais.

Segundo a Pragmática, o sentido de tudo está na utilidade, no efeito prático que os atos de fala podem gerar. Para ela, o que realmente importa é a comunicação e o funcionamento da linguagem entre os usuários, concentrando-se nos processos de inferência pelos quais compreendemos o que está implícito. Observe alguns exemplos:

Ex.: 1

Falante 1: - Nossa, as janelas estão todas abertas! Como está frio aqui!

Falante 2: - Só um momento, irei fechá-las.

Embora o falante 1 não tenha solicitado expressamente que as janelas fossem fechadas, o falante 2 inferiu, através da análise do que foi dito por seu interlocutor, que, para eliminar o frio, deveria fechar as janelas, intenção implícita no discurso do falante 1.

Ex.: 2

Falante 1: - O ambiente ficou muito escuro depois que as persianas foram fechadas.

Falante 2: - Vou abri-las novamente.

Conforme você viu, mesmo que o falante 1 não tenha expressado formalmente que gostaria que as persianas fossem abertas, o falante 2 inferiu, através da análise do contexto comunicacional, que, para eliminar a escuridão do ambiente, as persianas deveriam ser abertas, intenção pretendida implicitamente pelo falante 1.

Segundo a Pragmática, o contexto no qual a comunicação está inscrita é essencial para a compreensão do enunciado emitido. Claro que, quanto maior o domínio da linguagem, maior será a capacidade do falante de compreender enunciados implícitos. Nos exemplos utilizados acima, houve pedidos por parte de dois dos falantes, e, como regra constitutiva, os ouvintes disponibilizaram-se a executar aquilo que foi solicitado.

Embora existam muitas definições para a palavra pragmática, linguisticamente, a que mais nos interessa diz respeito ao estudo da linguagem do ponto de vista de seus usuários, analisando as escolhas lexicais feitas, as restrições encontradas no uso da linguagem em determinadas interações sociais e, principalmente, os efeitos que o uso da linguagem tem sobre os outros participantes no ato da comunicação. Sendo assim, a Pragmática pode ser considerada o ponto de convergência entre o uso linguístico e o uso comunicativo, comprovando a intrínseca relação entre a linguagem e a situação comunicativa em que ela está sendo empregada.