Você está aqui:
  1. Página Inicial
  2. Gramática
  3. Estilística
  4. Figuras Sonoras

Estilística

Texto:
por: Mariana Rigonatto

Figuras Sonoras


Figuras sonoras são efeitos de sentido criados pela representação de sons na língua escrita em função de objetivos comunicativos específicos.





As figuras sonoras utilizam o som para criar efeitos de sentido
As figuras sonoras utilizam o som para criar efeitos de sentido



Observe as expressões destacadas na letra da música de Vinícius de Moraes:

O Relógio

Passa, tempo, tic-tac
Tic-tac
, passa, hora

Chega logo, tic-tac
Tic-tac, e vai-te embora
Passa, tempo
Bem depressa
Não atrasa
Não demora
Que já estou
Muito cansado
Já perdi
Toda a alegria
De fazer
Meu tic-tac
Dia e noite
Noite e dia
Tic-tac
Tic-tac
Dia e noite
Noite e dia

Como você deve ter notado, as expressões em destaque imitam o som de um relógio, não é mesmo? Esse recurso é muito utilizado para criar efeitos de sentido no texto, que são chamados de figuras sonoras, ou seja, são recursos que exploram os sons para produzir significados.

As figuras sonoras constituem-se em: onomatopeia, aliteração, assonância e paronomásia, entre outras. Vamos analisar cada uma delas!

  • Onomatopeia: é o recurso que se utiliza de uma palavra especial para representar um som específíco.

Exemplos:

 

Palavras que representam sons

Espirro

Atchim!

Tosse

Cof, cof!

Gato

Miau!

Cachorro

Au! Au!

Galo

Cocoricó

Coração

Tum! Tum!

Beijo

Smack!

Telefone

Trimm!

Tiro

Bang! Bang!

Explosão

Boom!

Relógio

Tic-tac!

Bater à porta

Toc! Toc!

Campainha

Ding! Dong!

  • Aliteração: é o recurso que se utiliza da repetição de sons consonantais para criar um efeito sensorial.

Exemplos:

Violões que Choram
(...)
Vozes veladas, veludosas vozes,
Volúpias dos violões, vozes veladas,
Vagam nos velhos vórtices velozes
Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas.
Tudo nas cordas dos violões ecoa
E vibra e se contorce no ar, convulso...
Tudo na noite, tudo clama e voa
Sob a febirl agitação de um pulso.
(…)

CRUZ E SOUSA. Violões que choram.

Perceba que a repetição do fonema /v/ nessa estrofe do poema tem como objetivo remeter o leitor ao som do violão.

Observe mais exemplos:

O rato roeu a roupa do rei de Roma – sugere o som de roer

O sabiá não sabia que o sábio sabia que o sabiá não sabia assobiar. – sugere o som do assobio

  • Assonância – é o recurso que se utiliza da repetição de sons vocálicos para criar um efeito de sentido.

Exemplo:

A linha feminina é carimá
Moqueca, pititinga, caruru
Mingau de puba, e vinho de caju
Pisado num pilão de Piraguá
(Gregório de Matos)

Perceba que o autor utiliza-se de assonância na repetição do fonema /a/ (aberto) com o objetivo de trazer a amplitude do feminino.

Observe outros exemplos:

Borboletinha tá na cozinha fazendo chocolate para a madrinha. – repetição de /a/

Venha, Vera, ver as velas ao vento! – repetição de /e/

  • Paronomásia – é o recurso que se utiliza de palavras que possuem o som e a escrita semelhantes, mas significados diferentes, ou seja, palavras parônimas, com o objetivo de remeter o leitor para a diferença de sentidos. É utilizada a semelhança sonora e gráfica para criar esse efeito de sentido.

Exemplo:

Quem conta um conto sempre aumenta um ponto. (dito popular)

Você está confundindo espinafre de caçarolinha com espingarda de caçar rolinha. (dito popular)

Aproveite para conferir a nossa videoaula relacionada ao assunto: