Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Sintaxe » Orações Subordinadas Substantivas

Sintaxe

Texto:
por: Mariana Rigonatto

Orações Subordinadas Substantivas


As orações subordinadas substantivas exercem, em relação à oração principal, as funções sintáticas próprias do substantivo.





As orações subordinadas substantivas exercem as funções do substantivo
As orações subordinadas substantivas exercem as funções do substantivo



Observe os períodos abaixo:

(1) É necessário que você estude.

(2) Preciso saber se você está bem.

Perceba que cada uma das partes dos períodos compostos, destacadas acima, possui uma relação de subordinação com a oração principal, ou seja, relaciona-se sintaticamente com essa oração. No período (1), a parte destacada exerce a função de sujeito da oração principal. Em (2), observa-se que o trecho em destaque funciona como objeto direto do verbo transitivo direto “saber”. Assim, essa parte de (1) é uma oração subordinada substantiva subjetiva. Em (2), trata-se de uma oração subordinada substantiva objetiva direta. As orações que exercem as funções sintáticas dos substantivos no período composto são chamadas de Orações Subordinadas Substantivas. Vamos analisar cada uma dessas funções a seguir.

  • Oração subordinada substantiva subjetiva

É aquela que exerce a função de sujeito da oração.

Exemplo:

Convém estudar mais para a prova.

(oração principal com verbo unipessoal + oração subordinada substantiva subjetiva)

É necessário que faças a cirurgia urgentemente.

(verbo de ligação + predicativo do sujeito + oração subordinada substantiva subjetiva)

Existem algumas estruturas que nos auxiliam a identificar uma oração subordinada substantiva subjetiva. São elas:

a) Verbos unipessoais (acontecer, constar, convir, importar, parecer, urgir, suceder) na oração principal.

Exemplo:

Urge que você volte aos estudos.

Consta que você foi aprovada.

b) Verbo de ligação + predicativo do sujeito.

Exemplo:

É necessário que eles façam o trabalho.

É certo que você virá à reunião?

c) Verbo transitivo direto na voz passiva sintética, na 3ª pessoa do singular (com o pronome “se” na função de partícula apassivadora).

Exemplos:

Sabe-se que João não ama Maria.

Espera-se que você compareça à reunião.

d) Verbo transitivo direto na voz passiva analítica. (verbo ser + particípio).

Exemplos:

Foi provado que ele era inocente.

Foi previsto que o preço da gasolina aumentaria.

  • Oração subordinada substantiva objetiva direta

É aquela que exerce a função de objeto direto da oração principal.

Exemplos:

Todos querem que você tenha sucesso profissional.

(Oração principal com verbo transitivo direto + oração subordinada substantiva objetiva direta)

Ele verificou se todos estavam presentes.

(Oração principal com V.T.D + conjunção SE + oração subordinada substantiva objetiva direta)

  • Oração subordinada substantiva objetiva indireta

É aquela que exerce a função de objeto indireto da oração principal.

Exemplos:

Ele me convenceu de que eu estava errada.

(Oração principal com verbo trans. indireto + oração subordinada substantiva objetiva indireta)

As crianças necessitam de que cuidemos delas.

(Oração principal com verbo trans. indireto + oração subordinada substantiva objetiva indireta)

  • Oração subordinada substantiva completiva nominal

É aquela que exerce a função de complemento nominal de algum termo da oração principal.

Tenho medo de dirigir à noite.

(Oração principal com verbo trans. direto + objeto direto + oração subordinada substantiva completiva nominal)

Restou a saudade do que vivemos.

(Oração principal com verbo trans. direto + objeto direto + oração subordinada substantiva completiva nominal)

  • Oração subordinada substantiva predicativa

É aquela que exerce a função de predicativo do sujeito da oração principal.

Exemplos:

Meu medo é que você não volte.

(Oração principal com verbo de ligação + oração subordinada substantiva predicativa)

Nosso maior desejo é que todos sejam aprovados.

(Oração principal com verbo de ligação + oração subordinada substantiva predicativa)

  • Oração subordinada substantiva apositiva

É aquela que exerce a função de aposto de um termo da oração principal.

Exemplos:

Esse era meu maior receio: que você não aceitasse meu pedido de casamento.

(Oração principal + oração subordinada substantiva apositiva)

Não consigo aceitar uma coisa: você não ter comparecido à festa.

(Oração principal + oração subordinada substantiva apositiva)

Aproveite para conferir a nossa videoaula sobre o assunto: