Você está aqui:
  1. Página Inicial
  2. Gramática
  3. Sintaxe
  4. Tipos de sujeito

Sintaxe

Texto:
por: Mariana Rigonatto

Tipos de sujeito


O sujeito é um termo essencial da oração sobre o qual se faz uma declaração e pode ser classificado em vários tipos, de acordo com o núcleo que apresenta.





O sujeito é o ser sobre o qual se faz uma declaração
O sujeito é o ser sobre o qual se faz uma declaração



Como você já deve saber, o sujeito é um termo essencial da oração e é definido como o ser sobre o qual se faz uma declaração. No entanto, existem algumas características que fazem com que ele receba diferentes classificações, tais como: sujeito simples, sujeito composto, sujeito oculto (determinado) e sujeito indeterminado. Vamos analisar cada um deles neste texto:

  • Sujeito simples: é aquele que possui apenas um núcleo, ou seja, quando o verbo se refere a uma só palavra:

Exemplos:

Pedro viajou. (o verbo refere-se a um substantivo)

Nós aprendemos o alfabeto. (o verbo refere-se a um pronome)

Os três construíram o projeto. (o verbo refere-se a um numeral)

O humilde aprende mais. (o verbo refere-se a uma palavra substantivada)

É provável que ele viaje hoje. (o verbo refere-se a uma oração)

  • Sujeito composto: é aquele que possui mais de um núcleo.

Exemplos:

Pai e filho viajam juntos todos os anos. (o verbo refere-se a mais de um substantivo)

Viajamos ele e eu para Cancún. (o verbo refere-se a mais de um pronome)

Aprendem mais os humildes e os esforçados. (o verbo refere-se a mais de uma palavra substantivada)

Chegaram seis ou sete clientes. (o verbo refere-se a mais de um numeral)

Era melhor esquecer o carro novo e viajar para Cancún. (o verbo refere-se a mais de uma oração)

  • Sujeito oculto ou sujeito elíptico: é aquele que não está explícito na oração, mas pode ser determinado pela flexão número-pessoa do verbo, ou por sua presença em alguma oração antecedente.

Exemplos:

Gosto de viajar todos os anos. (sujeito oculto “eu”, determinado pela desinência verbal)

Chamava-se Maria, tinha 16 anos e trabalha no hospital municipal. (sujeito oculto “Maria”, determinado pela presença do sujeito em oração antecedente)

  • Sujeito indeterminado: é aquele no qual não é possível identificar um referente explícito na oração (ou no contexto do enunciado) para a flexão verbal. Pode ser construído por:

a) Verbo transitivo direto na 3ª pessoa do plural:

Anunciaram a morte do prefeito.

b) Verbo transitivo indireto, verbo intransitivo ou verbo de ligação flexionado na 3ª pessoa do singular + pronome “se”:

Não se fala da morte do prefeito no jornal local.

Agora, observe as orações seguintes e tente identificar o sujeito delas:

Chove muito nessa cidade.

Há muitos animais no zoológico de Brasília.

Como você pôde perceber, não é possível determinar o sujeito delas, não é mesmo? Isso se deve ao fato de serem orações sem sujeito. Os casos em que esse fenômeno gramatical ocorre são:

Oração sem sujeito

  • Com verbos ou expressões que denotam fenômenos da natureza.

Exemplo: De manhã choveu muito.

  • Com o verbo “haver” no sentido de existir.

Exemplo: muitos animais no zoológico de Brasília.

  • Com o verbo “haver”, quando indica tempo decorrido.

Exemplo: Aguardo a encomenda dois dias.

  • Como os verbos “ser”, “fazer” e “ir” na indicação de tempo ou relacionados a fenômenos da natureza.

Exemplos: Era bastante tarde.

Fazia frio durante aquela noite.

Vai para uns dois anos que não vejo meus pais.

Aproveite para conferir nossa videoaula sobre o assunto: